Droga avaliada em 6 milhões é apreendida na Bahia

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone
0 97

Uma carga de maconha pesando 4 toneladas, foi aprendida nesta quinta feira, 13 de julho, em um galpão na Rua Alegria em Campinas de Pirajá em Salvador. A droga está avaliada em 06 milhões, informou nesta sexta feira (14), o delegado de polícia Federal, Rodrigo Motta, que atua na Delegacia de Crimes Organizados. A droga estava escondida numa carga de cebolas.

Segundo o delegado, esta é a maior apreensão de droga pronta para o consumo feita no Nordeste. A maconha seria usada para abastecer bocas de fumo em Salvador e cidades da Região Metropolitana, informou ao Correio, o delegado.

 

Sete pessoas foram presas na operação que contou com a participação das polícias Federal, Rodoviária e da Secretaria da Segurança Pública. Entre os presos estão dois paulistas, um pernambucano e quatro baianos, todos são acusados de envolvimento e transporte da droga.

Os presos foram identificados como; Bruno Oliveira Alves, 34 anos, apontado como o líder da quadrilha. Ele tem passagem na 7ª Delegacia (Rio Vermelho) por estelionato e assalto, na 11ª DP (Tancredo Neves) por estelionato, na 22ª DP (Simões Filho) por roubo e na Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos (DRFRV) por falsificação de documentos e roubo.

O motorista do caminhão, identificado apenas como Deoclécio, receberia 20 mil reais pelo transporte da droga, ele também foi preso. A carga estava sendo monitorada desde São Paulo, informou a polícia. Segundo as investigações, a maconha pode ter vindo do Paraguai. Os traficantes usaram cebola para disfarçar o cheiro da maconha.

Os outros presos são; Idasil Ricardo Barbosa, 34, irmão de Deoclécio. Os irmãos são naturais da cidade de Cotia, no interior de São Paulo. Frank Assis Nascimento, 22, natural de Cabrobó-PE, também estava no caminhão que transportava a droga, Jeferson Cruz de Oliveira, 26, Rodrigo Costa Figueira, 32, e outro homem que não teve o nome revelado foram presos no galpão onde a droga estava escondida.

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.

Comente com o Facebook

Post a Comment

Your email is never published nor shared.

Name *
Email *
Website
Comment *